Iluminação do veículo

Com a iluminação do veículo, as luzes dentro e fora do veículo, acima de tudo terá de distinguir entre a luzes frontais e traseiras. Na frente do veículo, ter duas lâmpadas de cada para os máximos, os médios e os mínimos é o padrão. Também existem os sinais de mudança de direção, também chamados de piscas. De acordo com o modelo e idade, pode existir luzes de estacionamento, de canto, e de dia, como também pode existir faróis auxiliares e faróis de nevoeiro. Para as luzes traseiras existem pares de luzes de presença, luzes de travagem, mudança de direção e refletores. Também existem lâmpadas para a matricula, luzes de nevoeiro traseiras e luzes brancas para a marcha-atrás.

A rotulagem da iluminação dos automóveis é regulamentada pelas regras da Comissão Económica Europeia (CEE). Portanto todos os faróis tem uma certa marca de certificação que reflete o seu propósito. Por exemplo HR significa máximos de halogénio, RL para luz diurna, e CR para faróis de máximos e médios. Também estão impressas setas que indicam a direção da instalação e referem para o exterior do veículo.

No inicio da história do automóvel, lanternas foram usadas como iluminação, que foram mais tarde substituídas por lanternas a gás. Em 1925 foi introduzida a lâmpada de dois filamentos da Osram para uma combinação de faróis máximos e médio; cerca de 40 anos depois veio a primeira lâmpada de um único filamento de halogénio. Atualmente as luzes de xénon e de LED são cada vez mais usadas em carros. Por outro lado, luzes laser (como as que são usadas no BMW i8) são raras.

Para descobrir que iluminação de veículo é necessária para substituir uma lâmpada queimada, pode ver aqui para seu entretenimento.

Dunkelheit Beleuchtung

Informação sobre vários tipos de luzes:

Lâmpadas incandescentes

Se os fabricantes prometeres que as suas lâmpadas incandescentes são especialmente brilhantes e de longa duração, tenha cuidado. A razão: tecnicamente isso não é possível. Mas existem um número de produtos bem balançados, mesmo que um dos dois fatores seja por norma mais fraco. Muitas lâmpadas incandescentes são anunciadas como de "longa-vida", e que supostamente duram bastante tempo. Enquanto as lâmpadas incandescentes duram por norma vários anos, aquelas que são particularmente mais brilhantes, costumam ter de ser substituídas todos os anos. Mas ajustar corretamente a luz é tão importante como o serviço dado e a energia - influencia significativamente a eficácia da luz.

Glühlampe

É sempre uma boa ideia substituir as lâmpadas incandescentes aos pares, pois acabam sempre por se fundir uma a seguir á outra (se forem do mesmo modelo). Felizmente, legisladores em 2006 introduziram uma diretiva onde as luzes de médios podem ser mudadas sem ter de ir a um mecânico. Para isso, após desligar as luzes e a ignição, um mecanismo de fecho é aberto e o farol é retirado. Feito! Nota: quando mudar a lâmpada, evite tocar no vidro, pois se entrar em contato com óleo ou sujidade a lâmpada pode ficar danificada quando ficar quente.

Luzes LED

Durante muito tempo as luzes LED eram apenas usadas como decoração do interior de carros modificados. Naquela altura a tecnologia ainda não estava desenvolvida o suficiente ao ponto de usar os LEDs como faróis. Isso mudou em 1992, quando pela primeira vez foi introduzido um terceiro STOP com LED. Mas iria demorar mais 11 anos até a empresa Hella apresentasse o primeiro farol principal em LED que fosse legal na estrada na International Motor Show em Frankfurt am Main.

Em 2004 as luzes LED foram colocadas em produção como luzes diurnas no Audi A8 W12. Isto desenvolveu-se mais, com certos modelos automóvel a terem a iluminação toda em LED. Em 2015 o Opel Astra tornou-se finalmente o primeiro no mercado com um sistema de iluminação todo em LED Matrix. Este é um farol LED controlado eletronicamente que faz com que as luzes dos máximos não encadeiem. Este controlo é feito por uma camera atrás do para-brisas. Até uma luz de trânsito circular foi instalada, que usa a informação do sistema de navegação nos modelos de gama alta.

Apesar destas inovações, as luzes LED continuam reservadas para veículos de classe alta ou então estão disponíveis por um custo extra. Isto acontece devido aos altos custos de produção desta tecnologia e ao consumo de energia requerido. A necessidade é de 40 watts para luzes xenon, mas é consideravelmente mais alta com luzes LED devido a necessidade de arrefece-las. Se esta desvantagem for ultrapassada, as luzes LED vão tornar-se muito mais comuns no mundo automóvel.

Beleuchtung

Luzes Xénon

Lâmpadas xénons são usadas em ambas as luzes de máximo e de médios. Estas são lâmpadas de descarga de gás que foi introduzido pela Philips em 1989. Dois anos depois a BMW usou-as pela primeira vez num modelo padrão, a um custo extra na altura. Outros fabricantes de classe alta seguiram o exemplo, e instalaram apenas uma lâmpada xénon para os médios e máximos em conjunto (o farol bi-xénon), por exemplo a Mercedes-Benz CL introduziu em 1999. Entretanto luzes xénon são também usadas em ligação com as luzes sinalizadoras de direção.

As luzes xénon consistem em uma lâmpada de vidro de quartzo cheia com xénon, halogenetos metálicos, e frequentemente com mercúrio ou sódio. Em adição, existem dois elétrodos de tungsténio com um aro elétrico. Quando comparado com lâmpadas de halogénio, as lâmpadas de xénon produzem o máximo da sua luz consideravelmente mais rápido (dentro de 15 segundos). Uma outra vantagem: as luzes xénon duram quarto vezes mais.

O pulso de alta voltagem (25.000 volts) gerada por um balastro eletrónico leva à formação de uma faísca. A ionização do gás produz então um fluxo de corrente entre os elétrodos de tungsténio. Através do aumento rápido da temperatura dentro da lâmpada de vidro, os halogenetos metálicos vaporizam, produzindo a luz azulada típica das lâmpadas de xénon. Mesmo se a luz parecer mais fria, ela é mais brilhante que a lâmpada incandescente convencional usada na iluminação do veículo.

Existem lâmpadas xénon nas categorias D1, D1S, D1R, D2S, D2R, D3S, D3R, D4S, D4R e D-H4R, onde a letra D significa a palavra "descarga". Lâmpadas DxS são usadas para faróis com Sistema de projeções, lâmpadas DxR para faróis refletores. Lâmpadas nas categorias D3 e D4 não contém mercúrio, em contraste com a D1 e D2, mas não pode ser usada no lugar delas. Portanto, por razões de segurança elas têm configurações apropriadas diferentes.

O preço inclui embalagem, custo de transporte e IVA para Portugal continental.

pneucity.com - uma oferta por Delticom AG